ARTHUR BARBOSA

(Regente, Compositor e Violinista)

É envolvido com a música desde seus dez anos de idade, sendo violinista da Ospa desde 1998 e regente da Ospa Jovem desde 2014.

 

Compõe desde seus 14 anos de idade. Suas obras autorais têm sido executadas em mais de quinze países, incluindo cinco estreias mundiais delas que foram feitas fora do Brasil, e tem sido compositor residente em vários festivais internacionais desde 2003.

Paralelamente à sua carreira de músico, procurou ter aulas de regência com vários aclamados professores, inclusive com Eleazar de Carvalho no ano de 1989, num Festival internacional na Paraíba.

Começou a reger ainda na Argentina, país no qual viveu durante quase seis anos onde era responsável pela Orquesta Juvenil de San Luis. Tem atuado com frequência como regente de orquestras juvenis, como Projeto Guri – SP, Instituto Baccarelli – SP,  Projeto Música Para Todos – PI, Projeto de Cordas da UFC – CE,entre outros,  e por isso em 2013 foi chamado para ser um dos nove regentes brasileiros que seguiram, a convite do Minc, em uma missão à Venezuela - país com grande experiência em formação juvenil de músicos de orquestra - através de um projeto intitulado “El Sistema”, que existe lá há 40 anos e é referência mundial no tema.

Tem atuado constantemente como regente de Cortinas Líricas ou concertos com solistas cantores e é compositor de duas óperas e três musicais infantis, peças nas quais atuou como regente ou diretor musical.

Tem regido com frequência orquestras no Brasil, nos Estados Unidos e na Europa como a OSBA (Bahia), Filarmônica de Granada (Espanha), OSPB (Paraíba), Terra Symphony Orchestra (Nova York), OSPA (Porto Alegre), Camerata Antiqua (Paraná), Orquestra Heliópolis (São Paulo), entre outras.

 

Desde fevereiro de 2012, ocupa o cargo de Diretor Artístico e Regente Titular da Orquestra Eleazar de Carvalho, em Fortaleza (CE), e desde março de 2014 é responsável e regente da Ospa Jovem, em Porto Alegre, e regente associado da “Terra Symphony Orchestra”, em Nova York (EUA).

Ajudou a fundar diversos projetos e orquestras juvenis, como o Projeto Sinos A Corda – Unisinos (RS), Centro de Formación Orquestal - San Luis (AR), Projeto Ospa Jovem, usando e implementando nos mesmos toda sua vasta experiência em conduzir projetos que tratem de inclusão através da música e musicalização de jovens, além de formação de orquestras juvenis.

Em janeiro de 2015, foi nomeado pelo Ministério da Cultura do Brasil como um dos três membros da bancada de música da Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC), pelo biênio 2015/2016.

AGENDA LÍRICA
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
Copyright © 2018 Agenda Lírica