CONCERTOS INTERNACIONAIS DE ÓRGÃO DE TUBOS

RODOLFO WULFHORST E GRUPO CANTABILE

Publicado em 07 de outubro de 2018

No próximo dia 14 de outubro, domingo, acontece a segunda edição da XX Série de Concertos Internacionais de Órgão de Tubos com apresentação do organista gaúcho Rodolfo Wulfhorst e Grupo Cantabile.

A série tem direção artística da organista Anne Schneider, que mantém essa programação há 25 anos ininterruptos.  A realização de concertos em um instrumento raro, como o órgão de tubos, propicia além de belos espetáculos o conhecimento de uma arte diferenciada e a conservação de um patrimônio de imensurável valor histórico-cultural.

A apresentação do dia 14.10, traz um repertório com obras de grandes compositores, dentre eles:  Hassler, Bach, Vivaldi, Fauré, Stainer e Rutter. O concerto terá momentos solos com obras para órgão de tubos e outros momentos com o canto e o órgão, garantindo um belo concerto matinal repleto de reflexões e inspirações.

O Órgão de Tubos atingiu o seu apogeu na época Barroca (séc. XVI). Sempre fascinou os ouvintes pela qualidade do som, pelas variações possíveis na execução de obras e por exigir habilidade no manuseio dos pés e mãos simultaneamente.

Para Wolfgang Amadeus Mozart o órgão era o “Rei dos Instrumentos”. Johann Sebastian Bach foi um destacado compositor e organista.

Nos dias atuais e em nosso país, este é um instrumento raro, dado o alto valor para sua conservação, manutenção e aquisição, mas nem por isso menos apreciado. Estas circunstâncias, na verdade, tornam ainda mais relevante projetos que assegurem a ocupação, disseminação e até a popularização deste fascinante artefato musical.

 

RODOLFO WULFHORST

Natural de Ijuí/RS, começou a estudar piano aos 8 anos de idade com sua mãe, Dorothea Wulfhorst. Formado em Ciências da Computação, concluiu seu mestrado em Inteligência Artificial aplicada à Música em 2002 pela UFRGS.  Concomitantemente estudou piano com Ney Fialkow pelo Curso de Extensão em Música do Instituto de Artes da UFRGS.

Desde 1992 atua como pianista acompanhador, tendo atuado com conceituados músicos do cenário erudito gaúcho e brasileiro. Tem extensa atuação como pianista em montagens de óperas em formato "de bolso". Podemos destacar obras de Donizetti (L´Elisir d´Amore); Pergolesi (Serva Padrona); Mozart (Flauta Mágica, Bastien und Bastienne, Bodas de Figaro); Verdi (Traviata, Rigoletto e Otello); Puccini (Madama Butterfly, La Bohème); Gounod (Romeu e Julieta); Bizet (Carmen) Leoncavallo (Pagliacci); Bernstein (West Side Story); Debussy (L’Enfant Prodigy). Participa atualmente dos projetos “Terça Lírica” e "Arte Lírica", que ocorrem, respectivamente no Palácio da Justiça de Porto Alegre e no Foyer do Theatro São Pedro em Porto Alegre.

Como pianista e organista, participou ainda da realização de obras corais como: Requiem de Mozart com o Grupo Provox, sob a regência de Guilherme Rodrigues e preparação vocal de Elisa Machado; Gloria de Vivaldi com Madrigal Presto,  sob a regência de João Paulo Sefrim; Requiem de Fauré com o Grupo e Orquestra Cantabile sob a regência de Delmar Dickel;   Cantatas de Dietrich Buxtehude com a Orquestra e Coro da UCS, sob a regência de Manfredo Schmiedt; Lobgesang de Mendelssohn sob a regência de Manfredo Schmiedt; Magnificat de John Rutter com os coros da UFRGS, PUC e Cantabile, sob a regëncia de Márcio Buzatto, entre outros.

Atualmente atua como organista e pianista na Igreja da Reconciliação em Porto Alegre e na Comunidade Evangélica de Canoas.

GRUPO CANTABILE

O Cantabile foi criado em 1996 como grupo vocal. Em pouco tempo já adquiria características de coro de câmara, dedicado exclusivamente ao repertório sacro. Ao longo de 22 anos, tem realizado concertos e apresentações em Porto Alegre e diversas cidades do Rio Grande do Sul, com repertório à capela ou com acompanhamento instrumental de órgão, piano ou orquestra de câmara. Em seus concertos - seja com orquestra própria ou em parcerias com orquestras como Ospa, Osucs, Octsp, Fundarte, Ulbra, Filarmônica da Pucrs -, coleciona um vasto repertório: Magnificat, de Bach; Oratório de Natal, de Saint-Säens; Réquiem, de Fauré; Magnificat, de Rutter; Glória, de Vivaldi; Te Deum, de Luís Álvares Pinto; Missa em G, de Schubert; Sinfonia Lobgesang, de Mendelssohn; diversas Cantatas de Bach, motetos da Renascença, clássicos de Mozart e contemporâneos de Rutter. O Coro conta com cerca de 35 integrantes, sob a preparação vocal de Guilherme Román e regência, desde sua criação, de Delmar Dickel.

GUILHERME ROMAN

Baixo natural de Porto Alegre, é Bacharel em Canto pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Em 2013, cantou no grupo vocal organizado para a gravação da obra e DVD “Súbita Conexão”, de Marcelo Nadruz. Nos últimos anos, apresentou recitais como solista em Porto Alegre na série “Despertando Talentos”, organizada pela Casa da Música, na sobremesa musical da PUC, na Cortina Lírica e no Sarau Lírico no Museu de História da Medicina. Participa como cantor do grupo Vocal TAKT e do grupo Vocal 5. Cantou como baixo solista a “Vesperae solenes de confessore”, de Mozart, com o maestro Sérgio Assumpção, em 2014; o papel de Dulcamara da ópera “O Elixir do Amor”, em montagem feita na Terça Lírica no Palácio (Porto Alegre) em 2016; e o papel de Conde de Almaviva, da ópera Le Nozze di Figaro, em montagem feita durante o 1º Musikfest, em Santa Cruz do Sul, sob regência do Maestro Cláudio Ribeiro. Segue a orientação vocal do barítono Carlos Rodriguez, em Porto Alegre.

 

A Igreja Martin Luther, local da realização da série, abriga o instrumento para o qual esse projeto foi elaborado: um órgão de tubos Rieger.  No Rio Grande do Sul, existem somente outros dois órgãos com características semelhantes ao da Martin Luther, são os três maiores e mais completos do Estado, na sua categoria. Porém, apenas este Rieger está no altar, o que permite ao público sua visualização durante toda a execução, sendo um espetáculo à parte com promoção de uma experiência completa para quem assiste.

 

Direção Artística:

Desde 1993, a organista porto-alegrense Anne Schneider tem trabalhado para manter esta arte rara com a realização dos Concertos Internacionais de Órgão na Martin Luther, sempre com grande respaldo da comunidade. É um dos poucos projetos que se mantém por 25 anos ininterruptos. Graduada pela UFRGS em Piano, Órgão e Filosofia e com curso de Virtuosidade (performance), Anne Schneider fez seus estudos musicais com o maestro Leo Schneider, seu pai. Posteriormente, a nível de aperfeiçoamento, teve aulas com Renato Koch e Christophe Mantoux (França). Anne iniciou uma carreira de organista internacional em 1989, fazendo turnês anuais pelo mundo. Gravou cassetes, vários especiais de Rádio, TVs e quatro CDs. Produz e apresenta um programa semanal: "Toccata ", na Rádio da UFRGS, dedicado ao órgão de tubos, desde outubro de 1999. Desde 1988, é a organista titular da Igreja Martin Luther. Em 2011, ganhou a Medalha da Legislatura, na Assembleia do RS, por sua destacada colaboração à cultura gauchesca. É citada por renomado site polonês Organy piszczalkowe entre os 100 melhores organistas do mundo.

 

Este projeto é financiado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, tem o patrocínio da Favorit Aços Especiais, promoção da Associação Cultural Cantábile e apoio cultural da Comunidade Luther. Realização Governo Federal. Prevê oito apresentações para essa série e se mantém em fase de captação de recursos via Imposto de Renda, tanto de pessoas físicas quanto de pessoas jurídicas. Interessados podem entrar em contato pelo e-mail: delmardickel@gmail.com

Ester Chaves

 

produção musical | gestão cultural | assessoria de comunicação | gravação audiovisual

whats: (54) 9 99987307 | fone: (51) 9 98587307

Twitter: @EsterProdutora | Facebook: @ATMOSFERAProducoesCulturais

AGENDA LÍRICA
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
Copyright © 2018 Agenda Lírica