SÚBITA CONEXÃO

O PRIMEIRO DVD DE OBRA CONTEMPORÂNEA GAÚCHA

Minha vivência com música de concerto foi deveras precoce.

Com muito pouca idade, apesar de não tocar um determinado instrumento, meu pai, Arquiteto e entusiasta da Música Clássica, me submetia, com cinco anos de idade a audições variadas de inúmeros compositores europeus.

O interesse era espontâneo.

Iniciei concretamente o estudo de violão popular, um pouco mais tarde, quando completava oito anos e foi neste período – seja por influência das audições de meu pai, seja por que meu íntimo já trazia uma criatividade latente – me percebi enquanto compositor, inventando minhas primeiras peças despretensiosamente.

Quando tomei a decisão de interagir com outros músicos, idealizando uma formação instrumental na adolescência, surgiu o grupo Raiz de Pedra, o qual mesclava música popular, erudita e jazz!

Foi neste período que meus anseios enquanto compositor de Música Contemporânea de Concerto se confirmaram e, de fato, tudo o que eu produzia naquela época era Música Erudita de nossos dias, apesar de o quinteto instrumental não utilizar instrumentos “tradicionalmente eruditos”.

Já não me satisfazia mais os lugares comuns ou sonoridades previsíveis que retratassem tão somente estados de espírito reincidentes do ser humano.

No alvorecer da década de 1990 houve, um “divisor de águas” em minha alma.

Após deixar o grupo Raiz de Pedra em 1988, assumi integralmente a trajetória individual de compositor.

E curiosamente, um pouco depois, os “ventos do destino” me conduziram à ESCUELA NORMAL DE MÚSICA no Uruguai, onde tive o imenso privilégio de estudar diretamente com o grande compositor (internacionalmente reconhecido) Guido Santórsola, o qual foi meu mestre durante o período de cinco anos. 

Numa criatividade febril fui construindo ao longo de duas décadas, um repertório vasto, tanto no universo camerístico, quanto sinfônico e coral.

Como regente e arranjador não posso deixar de relatar minha passagem relevante pela Banda Municipal de Porto Alegre ao longo de seis anos (de 2004 a 2010).

No início do ano de 2013 eu estava com uma grande inclinação para registrar pela primeira vez o meu trabalho enquanto compositor de Música de Concerto.

Havia, entretanto, uma grande dúvida com relação à obra a ser escolhida.

Eu havia ingressado em anos anteriores no FUMPROARTE, o fundo de cultura do município, porém, não tinha obtido sucesso com meu primeiro projeto de registro fonográfico de meu trabalho.

Na realidade, agora em minha segunda investida, visando captação de recursos, devo tudo, naquele momento a uma profissional, no que tange à aceitação por parte do FUMPROARTE de um projeto ousado que era o registro de um CD (inicialmente).

Esta pessoa à qual me refiro é Marisa Rotenberg, cantora de expressão nacional e produtora brilhante.

A ideia posterior e definitiva de registrar minha música em um DVD foi, em realidade, iniciativa do competentíssimo maestro Cláudio Ribeiro (com trajetória internacional), o qual seria, posteriormente, o regente do projeto.

Evidentemente que com esta mudança de rumos, um DVD aumentaria os custos     consideravelmente.

A partir daí a equipe integral do projeto foi sendo construída, inclusive com algumas desistências, entretanto, permaneceram, no meu ponto de vista, aqueles artistas que estavam aptos a se integrar à obra musical de minha autoria.

Eu havia escrito a partitura de “Súbita Conexão” dois anos antes e percebi que aquela seria a composição ideal para ser registrada em DVD.

A formação da obra era inusitada, pois, continha um grupo de seis cantores solistas, órgão de tubos, vibrafone, marimba, cítara indiana, dois alaúdes, além do regente.

Poderia ser considerada uma obra mística multi- étnica e com religiosidade universalista, e, apesar da atmosfera de contemporaneidade, não ser inacessível.

Eu e Marisa Rotenberg passamos, então, a sair em busca da equipe ideal e, com sugestões provindas do próprio grupo, atingimos nosso objetivo.

Integraram-se ao projeto, Alexandre Fritzen (órgão de tubos), Cintia de los Santos e Cynthia Barcelos (sopranos), Lucas Alves e Eduardo Alves (tenores), Guilherme Roman e Igor Ruschel (baixos), Diego Silveira (vibrafone), Carlos Tort (marimba), Flávia Domingues Alves e Fernando Mattos (alaúdes) e Daniel Nodari (cítara indiana), Carlos Rodriguez (preparador vocal), além de Cláudio Ribeiro como regente da obra.

Estava formada, portanto, uma equipe de notável competência artística, além da impressionante entrega de todos os envolvidos aos propósitos do projeto.

A empresa Prana Filmes ficou encarregada do registro de imagens, Marcos Abreu, pela captação sonora e o registro fotográfico, por Marielen Baldissera – todos eles profissionais de altíssimo nível.

As artes gráficas do DVD estavam a cargo do talentoso Marcos da Silva.

Houve alguns contratempos (naturais para um registro de uma obra contemporânea complexa) e cabe aqui destacar um destes “entraves”.

Havíamos planejado as gravações para o inverno de 2013, entretanto, desconhecíamos um fator de extrema relevância envolvendo um instrumento musical em particular que compunha a obra.

Tratava-se do órgão de tubos da Catedral Metropolitana de Porto Alegre (local das gravações) de fabricação francesa e que havia sido restaurado; entretanto, a afinação estava bastante alterada devido à própria estação fria do ano.

O irmão Renato Koch, grande conhecedor daquele instrumento, sugeriu que esperássemos mais dois meses, pois que assim, o órgão retornaria à afinação ideal por conta própria.

E foi o que fizemos.

Por incrível que possa parecer, aquele período de dois meses, os quais os músicos se familiarizaram ainda mais com o conceito estético da obra, foi extremamente salutar.

No mês de setembro de 2013, retornamos à Catedral Metropolitana com a obra praticamente ”absorvida” em todas as suas nuances.

O registro foi realizado e se pôde perceber a incrível musicalidade latente de todos os participantes.

Cabe aqui salientar que este DVD entrou para a história do Rio Grande do Sul por ser o PRIMEIRO registro em áudio e imagem de uma obra contemporânea e igualmente por ser de um compositor gaúcho.

Trata-se de uma obra que já foi remetida para vários países, sempre com grande aceitação do público justamente por possuir uma moderna sonoridade peculiar, e com um poder de irradiação para todas as raças, credos e culturas de nosso planeta.

 

Marcelo Nadruz

Contato para obtenção do DVD: (51) 99952-0736

AGENDA LÍRICA
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
Copyright © 2018 Agenda Lírica